A macabra história por detrás do quadro do menino que chora. Pintor teria feito um pacto com o diabo.


O quadro do “menino chorando” ficou mundialmente famoso e possivelmente você já tenha ouvido falar. A obra foi pintada pelo italiano Giovanni Bragolin que nasceu em 1911.

As pinturas de Bragolin, que era um pintor de formação acadêmica e trabalhou na Veneza pós-guerra, retravam rostos de crianças chorando. Ao todo foram 27 pinturas dos “Crying Boys” e suas reproduções foram vendidas no mundo inteiro. Na década de 1970 ele foi encontrado vivo e ativo, ainda pintando em Pádua. Giovanni faleceu de um câncer no esôfago em 1981.

No entanto, o mais curioso é toda história misteriosa e macabra que se disseminou pelo mundo, de que após seu fracasso como pintor, não tendo conseguido vender suas obras, ele teria feito um “pacto com o Diabo”,

O nome verdadeiro do artista era Bruno Amadio e depois do pacto passou a usar o pseudônimo Giovanni Bragolin e não mais pintaria crianças felizes. Passaria a retratar crianças chorando, por circunstâncias retratadas de forma subliminar no próprio quadro .

Suas obras então começaram a serem vendidas no mundo inteiro e ficaram famosas. Nas fotos abaixo é possível ver as telas em importantes lugares, comprados por políticos e aparecem em produções de cinema.

Existem não poucas versões da história. Um delas conta que o quadro que acabou ganhando fama de “amaldiçoado” foi um retrato que Giovanni fez do próprio filho.

A lenda se consolidou depois que o retrato do menino passou a ser produzido em série na Inglaterra, e diversos incêndios registrados no país foram atribuídos à maldição do quadro, que era um dos poucos itens encontrados intactos após os incidentes. O tabloide britânico The Sun chegou a publicar um artigo sobre investigações relacionadas à pintura, e inclusive foram organizadas campanhas públicas para destruir as figuras.

Os relatos são de que mais tarde, o pintor, arrependido, teria implorado para que todos destruíssem suas obras, que só trariam desgraças aos seus donos. Confessou que algumas crianças retratadas traziam a pupila dilatada porque estavam mortas, eram crianças reais, desaparecidas de suas famílias e encomendadas para Satã.

Também há alegações de que ele fugiu para a Espanha após a guerra, e teria usado as crianças de um orfanato local (posteriormente incendiado) como inspiração para as pinturas. Há ainda outra lenda de que um bombeiro ao relatar que em incêndios ocorridos na Inglaterra, nos anos 70, estranhamente os quadros não se queimavam.

Outras histórias macabras foram de pessoas que escreviam para o mesmo jornal relatando tragédias que ocorreram depois da aquisição de tais quadros, e os mesmos eram queimados em fogueiras.

Baixo algumas das telas produzidas pelo artista.

Compartilhe
  • 30
  •  
  •  
  •  
  •  
    30
    Shares

Curta o Hazu